QUI, 24 de jan / 2019

Trabalhadores na Ford Taubaté encerram greve e retomam negociações com a empresa

Crédito: Divulgação
-
 Trabalhadores aprovaram a retomada das negociações

Após assembleia na tarde desta quinta-feira (24), trabalhadores na Ford Taubaté encerram greve e retomam negociações com a empresa.  

Ainda pela manhã, representantes do Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e da montadora tiveram uma audiência mediada pela desembargadora e vice-presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Tereza Aparecida Asta Gemignani.

O Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté está representado por advogados do Departamento Jurídico e por integrantes do Comitê Sindical de Empresa (CSE) Ford. A audiência foi uma tentativa de conciliação e dissídio coletivo de greve.

O presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) e trabalhador na Ford de São Bernardo do Campo, Paulo Cayres, participou da assembleia nesta tarde. "Não iremos aceitar que trabalhadores sejam demitidos arbitrariamente e sem conversa com os representantes da classe trabalhadora", disse. "A unidade é essencial para que os direitos sejam mantidos e conquistados", completou. 

O secretário geral da CNM/CUT, Loricardo de Oliveira, também esteve presente durante a mobilização. 

Crédito: Divulgação
-
Cayres (microfone) destacou importância da greve para manutenção e conquista de direitos

Greve
Os trabalhadores na Ford Taubaté paralisaram as atividades, por tempo indeterminado, na tarde de segunda-feira (21). A greve teve início depois que a montadora demitiu de forma arbitrária 12 funcionários em meio às negociações com o Sindmetau para administrar o excedente de mão de obra, alegado pela empresa. Desde terça-feira (22) somente os trabalhadores das áreas essenciais da Ford entram na unidade em Taubaté.

A demissão ocorreu depois que os metalúrgicos da empresa confirmaram em assembleia, realizada na quinta-feira (17), a disposição em lutar pela manutenção do emprego. Os trabalhadores também aprovaram o apoio do Sindmetau caso a Ford tomasse um posicionamento contrário ao deliberado na plenária e assembleia, realizadas em 2018, quando o estado de greve foi decidido.

Apoio
Assim, o Sindicato está na luta pelo emprego na Ford. As negociações pela manutenção dos empregos começaram em setembro do ano passado, quando a Ford alegou ter um excedente de 350 trabalhadores em Taubaté.

Um PDV (Programa de Demissão Voluntária) foi aberto em novembro, com adesão de 128 trabalhadores. Os integrantes do CSE (Comitê Sindical de Empresa) negociavam outras medidas para administrar o excedente, quando foram surpreendidos pela demissão de 12 trabalhadores no início desta semana.

“Não restava outra alternativa para nós trabalhadores. Foi deliberado em assembleia a paralisação por conta da demissão de qualquer pessoa que não fosse por meio do PDV”, afirmou o coordenador do CSE da Ford, Sinvaldo Cruz.

Entre as alternativas para equilibrar o excedente de mão de obra, alegado pela empresa, estavam a abertura de um novo PDV, a redução da jornada e a LR (licença remunerada). “São alternativas viáveis no sentido de buscar a preservação dos postos de trabalho”, disse Sinvaldo.

A Ford conta com cerca de 1.300 funcionários na fábrica de Taubaté.

(Fonte: Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté, com informações da CNM/CUT)

Com a Palavra

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

Folha Metalúrgica - Porto Alegre

Folha Metalúrgica - Porto Alegre - Edição Nº 336
30 de out / 2017

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700