QUI, 29 de set / 2016

Confira balanço do Dia Nacional de Mobilização e Paralisação dos Metalúrgicos cutistas

Nesta quinta-feira (29), trabalhadores ligados à CUT e às demais centrais sindicais protestaram contra a retirada de direitos trabalhistas e sociais.

Nesta quinta-feira (29), metalúrgicos em todo o Brasil realizaram uma grande paralisação nacional em defesa dos direitos dos trabalhadores e contra a atual política do governo golpista de Michel Temer de retrocesso nos avanços sociais. O Dia Nacional de Mobilização e Paralisação dos Metalúrgicos foi articulado pela CUT, Força Sindical, Conlutas, CTB e Intersindical.

Os trabalhadores foram mobilizados através de assembleias, atrasos em horários de entrada das fábricas, greves e passeatas. No Rio Grande do Sul, por exemplo, os sindicatos dos metalúrgicos que pertencem à base da Central Única dos Trabalhadores concentraram as ações em 19 fábricas, de 13 municípios (Rio Grande, Santa Rosa, Horizontina, Não me Toque, São Leopoldo, Canoas, Cachoeirinha, Venâncio Aires, Porto Alegre, Novo Hamburgo, Passo Fundo, São José do Norte e Guaíba).

Já em São Paulo, os Sindicatos dos Metalúrgicos cutistas de Taubaté, Sorocaba, São Carlos e Pindamonhangaba também aproveitaram para fomentar a campanha salarial dos metalúrgicos no estado. A data base da categoria é 1º de Setembro e nenhum do grupo de negociação fechou proposta com a bancada patronal.

Os metalúrgicos ligados à CUT em Minas Gerais também aproveitaram o Dia Nacional de Mobilização para fechar a BR-381 em protesto contra a proposta de reajuste salarial. O Sindicato patronal propôs reajuste de 5% a partir de fevereiro. A data base da categoria é 1º de Outubro.

No nordeste, os metalúrgicos de Natal (RN) e Campina Grande (PB) realizaram assembleias e distribuíram boletins informativos com a pauta nefasta do governo golpista.

“Foi um dia extremamente importante ao mostrar a unidade dos metalúrgicos em todo o País e das respectivas centrais sindicais. Mostramos que defenderemos nossas conquistas e estaremos sempre na luta contra qualquer atentado aos direitos dos trabalhadores”, afirmou o presidente da Confederação Nacional dos metalúrgicos da CUT (CNM/CUT), Paulo Cayres.

Entre as ameaças estão a terceirização ilimitada, a implantação da jornada de trabalho de 12 horas diárias, contratos de trabalho flexíveis e a reforma da Previdência.

“Não vamos aceitar a truculência desse governo de colocar as pautas de cima para baixo”, disse. “Se a idade mínima de aposentadoria mudar para 65 anos, têm trabalhadores que não vão nem se aposentar”, explicou.

O dirigente destacou que o projeto de terceirização ilimitada, o PLC 30, está para ser votado no Senado e avaliou que há um esforço do governo e de setores do empresariado para condicionar a recuperação da economia à retirada de direitos.

“Parte dessa crise foi estimulada. Foi uma retenção de investimentos para, na sequência, implementar essa pauta. Eles querem convencer que para crescer precisa precarizar”, disse. “Se você não distribui renda, não vai ter a economia girando”, prosseguiu.

Confira as imagens das mobilizações pelo país.

rédito: Divulgação
-
Taubaté (SP) - Metalúrgicos na GE receberam boletins na porta da fábrica

 

Crédito: Divulgação
São Carlos (SP) - Na Volkswagen, trabalhadores atrasam entrada de turno
São Carlos (SP) - Na Volkswagen, trabalhadores atrasam entrada de turno
Crédito: Divulgação
Araçariguama (SP)
Araçariguama, região de Sorocaba (SP)

Crédito: Divulgação
Pindamonhangaba (SP) - Na Incomisa, metalúrgicos também protestam contra proposta de reajuste oferecida pelos patrões
Pinda (SP) - metalúrgicos na Incomisa também protestam contra proposta de reajuste salarial

Crédito: Divulgação
Belo Horizonte (MG)
Belo Horizonte (MG)

Crédito: Divulgação
Campina Grande (PB)
Campina Grande (PB) 

Crédito: Divulgação
Natal (RN) - Trabalhadores paralisaram produção por uma hora
Natal (RN) - Trabalhadores paralisaram produção por uma hora

Crédito: Divulgação
CNM/CUT presente no protesto em Ponta Grossa (PR)
CNM/CUT presente no protesto em Ponta Grossa (PR)

Crédito: Divulgação
Cachoeirinha (RS) - mobilização dos metalúrgicos na Bomber Speakers.
Cachoeirinha (RS) - mobilização dos metalúrgicos na Bomber Speakers

Crédito: Divulgação
São Leopoldo (RS) - Protesto na Delga
São Leopoldo (RS) - Protesto na Delga

Crédito: Divulgação
Erechim (RS)
Erechim (RS)

Crédito: Divulgação
Santa Rosa (RS) - 600 trabalhadores na Agco paralisaram a produção por uma hora.
Santa Rosa (RS) - 600 trabalhadores na Agco paralisaram a produção por uma hora

Crédito: Divulgação
Guaíba (RS) - Protesto na ThyssenKrupp.
Guaíba (RS) - Protesto na ThyssenKrupp

Crédito: Divulgação
Horizontina (RS) - Protesto aconteceu na John Deere.
Horizontina (RS) - Protesto aconteceu na John Deere

Crédito: Divulgação
Novo Hamburgo (RS) - Mobilização aconteceu na Metalúrgica Daniel.
Novo Hamburgo (RS) - Mobilização aconteceu na Metalúrgica Daniel

Crédito: Divulgação
Porto Alegre (RS) - Assembleia com os trabalhadores na GKN.
Porto Alegre (RS) - Assembleia com os trabalhadores na GKN

Crédito: Divulgação
Rio Grande (RS) - Protesto dos trabalhadores na Ecovix
Rio Grande (RS) - Protesto dos trabalhadores na Ecovix

(Fonte: Assessoria de Imprensa da CNM/CUT)

Com a Palavra

QUI, 19 de jul / 2018

Afaste de mim este cale-se

*Luiz Inácio Lula da Silva

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

Folha Metalúrgica - Porto Alegre

Folha Metalúrgica - Porto Alegre - Edição Nº 336
30 de out / 2017

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700