QUI, 14 de set / 2017

Pindamonhangaba (SP): paralisação na Gerdau protesta por segurança

Crédito: Guilherme Moura
Metalúrgicos pararam por uma hora por segurança no trabalho
Metalúrgicos pararam por uma hora por segurança no trabalho

Os trabalhadores na Gerdau de Pindamonhangaba (SP) fizeram uma paralisação de uma hora nesta quarta-feira (13), contra a falta de segurança nas unidades da empresa. O ato integra série de ações da Rede Nacional de Trabalhadores na Gerdau por condições de trabalho seguras e saudáveis em todas as plantas da empresa.

No dia 15 de agosto, uma explosão na Gerdau de Ouro Branco (MG) provocou a morte de quatro trabalhadores. Em menos de um ano, três acidentes aconteceram naquela planta e juntos provocaram nove mortes. Estes acidentes geraram protestos em várias unidades da Gerdau pelo mundo.

Em Pindamonhangaba, no último dia 31, houve um incidente de alto risco no setor de aciaria. Uma panela, com 96 toneladas de aço líquido, caiu da ponte rolante. Por sorte, nenhum dos 30 trabalhadores no setor se feriu. A unidade emprega cerca de 1.700 trabalhadores.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba, a empresa fez a troca dos cabos para economizar na manutenção do equipamento, mas eles se romperam. “Se tivesse caído 30 cm ao lado, a panela iria bater na linha, tombar e derramar aço líquido sobre os metalúrgicos, provavelmente causando muitas mortes também aqui em Pinda. Foi um erro de projeto, mas também retrata essa ganância da empresa pra economizar a qualquer custo”, disse o presidente do Sindicato, Herivelto Vela.

O ato contou com participação da Rede Nacional de Trabalhadores na Gerdau, que realizou encontro em Pindamonhangaba nos dias 12 e 13. O evento reuniu sindicalistas da Gerdau de Pinda, Sorocaba e São Paulo (SP), Volta Redonda (RJ), Pernambuco (PE) e São Leopoldo (RS).

Para Loricardo Oliveira, coordenador do Comitê Mundial de Trabalhadores na Gerdau, a discussão do encontro vai além dos problemas de cada unidade. “Nesse encontro estamos caminhando para construir uma proposta de acordo coletivo nacional que possa garantir a saúde e a segurança no local de trabalho, em virtude de tantos acidentes que estão ocorrendo. E esse movimento de solidariedade é fundamental para mostrar para a empresa que há unidade dos metalúrgicos”, disse Loricardo.

+ Confira aqui matéria com as ações internacionais por seguraança no trabalho e solidariedade aos metalúrgicos na Gerdau de Ouro Branco.

(Fonte: Guilherme Moura - Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba)
 

Com a Palavra

TER, 07 de jul / 2020

O resgate do setor de ferramentaria

Por José Roberto Nogueira da Silva, o Bigodinho Coordenador do Segmento Automotivo da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT)

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

O Metalúrgico

O Metalúrgico - Edição Nº 15/07/2020
15 de jul / 2020

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700