GM

Mundo

A General Motors Corporation é a maior empresa do setor automobilístico no mundo. Em 1995, suas vendas foram superiores a US$ 168 bilhões e seus lucros atingiram mais de US$ 6 bilhões. É a maior corporação do mundo em termos de faturamento (1996) e emprega cerca de 693 mil trabalhadores, dos quais 178 mil fora dos EUA.

A GM entrou na América do Sul na década de 20, quando a modernização de países como Argentina e Brasil possibilitou às empresas do setor automotivo a instalação de filiais para o abastecimento do nascente mercado de autoveículos. 

No Brasil, cujos centros urbanos iniciavam o crescimento industrial provocado pela modernização das atividades do processamento do café, seu principal produto de exportação e de sustentação econômica, a demanda por meios de transporte motorizados motivou a entrada de empresas como a Ford e a GM, naquela época as duas maiores empresas mundiais de autoveículos.

A GM instalou-se na cidade de São Paulo em 1925. Construiu uma unidade de montagem CKD (Completely Knocked Down, que significa veículos completamente desmontados) e iniciou a implantação de uma rede de revendedoras que rapidamente passou de cento e cinqüenta pontos. Em apenas três anos a GM, sozinha, foi responsável por colocar nas ruas mais de 50 mil unidades do pequeno furgão Chevrolet. Para o mercado brasileiro da época, isso representava o dobro da frota nacional de veículos.

Houve fortes investimentos na propaganda e cresceu o volume de vendas dos produtos da empresa, consolidando suas operações no país. Em 1927, a GM deu início à construção de uma fábrica em São Caetano do Sul, motivada pela demanda crescente e pelo nível das vendas que atingira, mas a crise provocada pela quebra da Bolsa de Nova Iorque atingiu duramente o nascente projeto. Uma redução drástica da produção em 75% causou a demissão de muitos trabalhadores.

A recuperação da GM no Brasil foi facilitada pelas políticas governamentais de investimento industrial, o que possibilitou a retomada do crescimento anterior à crise. Na Segunda Guerra Mundial, a empresa passou a direcionar parte de sua produção (veículos militares etc.) para o esforço de guerra implementado pelo governo e a sua fábrica esteve sob controle dos militares.

Ainda na década de 40, mesmo em um contexto de guerra, a economia brasileira dava importantes passos na industrialização e inaugurava a Companhia Siderúrgica Nacional, importante para o setor metal-mecânico e em particular para a indústria automotiva. Nesse período, a GM do Brasil inaugurou a sua fábrica de baterias Etna em 1942 (futura Delco).

Com as dificuldades de importação do pós-Guerra e devido a política de incentivo à industrialização nacional, a empresa envolveu-se no desafio da nacionalização e agiu rápido: em 1951 produziu o primeiro ônibus brasileiro, com carroceria 100% metálica e nacional e iniciou um outro negócio, com a produção local de refrigeradores da marca Frigidaire, que até então eram importados.

A política industrial brasileira teve um impulso na década de 50, com a atração de muitas empresas do setor automotivo para o país. Criou-se o Grupo Executivo da Indústria Automobilística (GEIA), responsável pelo controle da instalação do setor e, em 1956, o Grupo aprovou o projeto de nacionalização dos caminhões Chevrolet. Com uma nova fábrica em São José dos Campos, inaugurada em 1959, a GM passou então a produzir motores e caminhões nacionais.

O passo seguinte foi a implementação do projeto de produção de automóveis de passeio inteiramente nacionais. O projeto durou dez anos para se concretizar e lançar no mercado o luxuoso Opala, em 1968, que obteve enorme sucesso de vendas, chegando a um milhão de unidades produzidas até 1992. Esse sucesso exigiu a ampliação da fábrica de São Caetano do Sul.

Mais recentemente a GM inaugurou uma unidade produtiva na cidade de Gravataí, RS, para a produção de carros de passeio.

Notícias

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

Vídeos

Vídeos TVT

Com a Palavra

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

Folha Metalúrgica - Porto Alegre

Folha Metalúrgica - Porto Alegre - Edição Nº 336
30 de out / 2017

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700