SEX, 30 de abr / 2021

1º de Maio terá carreata solidária no ABC e live unificada das centrais

O presidente do Sindicato, Wagner Santana, o Wagnão, ressalta o significado de lembrar e marcar a data, especialmente no momento atual. "O 1º de Maio é dia um dos trabalhadores, uma data que marca as lutas que já travamos e principalmente aquelas que ainda precisamos enfrentar. Hoje nossas prioridades são a vacinação em massa, a defesa da Saúde Pública, a defesa do emprego de qualidade e o combate à desigualdade e à fome".

Crédito: Divulgação
Divulgação 1º de maio
Divulgação 1º de maio

Neste sábado, 1º Maio, Dia Internacional dos Trabalhadores e das Trabalhadoras, os Metalúrgicos do ABC terão um dia marcado por atividades de protesto, solidariedade e atividades culturais. Neste ano, tendo em vista o agravamento da pandemia e suas consequências econômicas e sociais que tanto afetam a classe trabalhadora, a pauta das atividades é a luta pela vida, por vacina para todos, democracia, emprego, e a  defesa de um auxílio emergencial de R$ 600.

Na parte da manhã, os Metalúrgicos do ABC participam de uma carreata solidária e de protesto, organizada pela CUT-SP. A concentração será no Estádio 1º de Maio, Vila Euclides, em São Bernardo, às 9h. De lá os veículos seguem até a Praça da Moça, em Diadema. No local haverá um drive thru solidário para arrecadação de alimentos.

O presidente do Sindicato, Wagner Santana, o Wagnão, ressalta o significado de lembrar e marcar a data, especialmente no momento atual. "O 1º de Maio é dia um dos trabalhadores, uma data que marca as lutas que já travamos e principalmente aquelas que ainda precisamos enfrentar. Hoje nossas prioridades são a vacinação em massa, a defesa da Saúde Pública, a defesa do emprego de qualidade e o combate à desigualdade e à fome".

O dirigente lembra que, infelizmente, a fome voltou a ser um tema urgente, devido à pandemia e a falta de ação dos governos. "Ao contrário do que ocorria nos anos 90, quando nossas campanhas de arrecadação eram para ajudar a população de regiões bem mais carentes, como o Nordeste, hoje as doações são destinadas à população que vive aqui ao nosso lado, nas periferias. Este 1º de Maio tem de ser também de solidariedade", reforça.

Live com as centrais sindicais

Às 14h, a CUT e as demais centrais sindicais realizam a live do 1º de Maio, unificada, com participação de artistas, políticos e sindicalistas. Neste ano, os presidentes das centrais estarão em um estúdio, de onde farão seus discursos.  A atividade contará com a participação dos ex-presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff e Fernando Henrique Cardoso, parlamentares, lideranças partidárias e de movimentos sociais, além de entidades sindicais internacionais e representantes de diferentes religiões.

Estão confirmadas também as participações de Elza Soares, Chico Buarque, Chico César, Tereza Cristina, Marcelo Jeneci, Odair José, Osmar Prado, Gregório Duvivier, Tereza Seibilitz e Paulo Betti, entre outros artista. Acadêmicos e esportistas, com a atleta Joana Maranhão, também integram o evento. A atividade será transmitida pela TVT, pelas redes sociais das centrais e também pela página do Sindicato no facebook.

Para Wagnão, a unidade das centrais é fundamental neste momento de imensos desafios. "É preciso preparar a classe trabalhadora para a retomada pós-pandemia, que não será nada fácil, dadas as condições econômicas e políticas que vivemos. A pandemia descontrolada agravou ainda mais os problemas já existentes, como a precarização do trabalho e o desemprego", destaca.

"É preciso pensar em novas formas de organização do movimento sindical, para que ele possa atender inclusive o número crescente de trabalhadores informais. Temos hoje uma quantidade significativa de pessoas que trabalham para aplicativos digitais e não têm sequer um patrão com quem possam negociar. Eles não são 'empreendedores', mas sim trabalhadores ainda mais explorados, e este é um grande desafio a ser encarado. Neste 1º de Maio temos demandas urgentes, como a fome, a vacina, e temos também de pensar o futuro", completa.

*matéria publicada no site do SMABC

 

Com a Palavra

TER, 16 de fev / 2021

Por que é necessário nacionalizar a Ford e criar uma montadora brasileira?

Escrito pelo diretor executivo do Sindicato e presidente do Industriall-Brasil, Aroaldo Oliveira da Silva, e pelo presidente da Central de Cooperativas Unisol Brasil e diretor da Unicopas, Leonardo Pinho

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022 - Edição Nº SET/2020
25 de set / 2020

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700