QUA, 14 de out / 2020

Começa a luta por reajuste no Rio Grande do Sul

Mesa de negociação deve acontecer em novembro

Pontapé inicial da campanha foi dado no dia 22 de setembro, durante live conduzida pelo presidente da Federação dos Metalúrgicos do Rio Grande do Sul (FTM-RS), Lírio Segalla; pelo presidente do Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Porto Alegre (STIMEPA), João Batista Massena; e pelo secretário de Finanças da FTM-RS, Milton Viario, com participação de metalúrgicos de todo o estado.

Por entender que em março de 2020 vivia-se um momento de inúmeras incertezas, a Federação e sindicatos filiados optaram por garantir os direitos da categoria até 30 de abril, com a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) Extraordinária. Findo o prazo, estes direitos foram renovados até 31 de dezembro de 2020 – ou até o fim do Decreto Legislativo 06/2020 – através da CCT Emergencial. E diante do cenário crítico que se estendia, as entidades representativas dos trabalhadores negociaram a renovação das cláusulas sociais da CCT 2020 até abril de 2021, adiando a negociação das cláusulas econômicas para novembro próximo.

Na avaliação do secretário de Finanças da FTM-RS, Milton Viario, essa soma de esforços garantiu muitos postos de trabalho, fazendo com que impacto do desemprego na categoria fosse menor que no geral. Os sindicatos empreenderam ainda ações pautadas pelo tripé: proteção à saúde do trabalhador e seus familiares, manutenção do emprego e garantia da máxima remuneração possível.

Agora é hora de cuidar dos salários

Para Segalla os trabalhadores já contribuíram e agora é hora de terem o retorno dos patrões. “Já fizemos a nossa cota de sacrifício ao termos os salários e jornadas reduzidos ou os contratos suspensos”, observa. O presidente da FTM-RS salienta que uma negociação é feita de reciprocidade e que há empresas lucrando, mesmo neste cenário de pandemia. Como exemplo, ele cita o setor de máquinas agrícolas que não paralisou as atividades e ainda manteve a produção em alta.

O presidente do STIMEPA, João Batista Massena, vê uma mudança positiva no cenário, com empresas retomando a produção e recontratando funcionários, o que indica um bom momento para negociar o reajuste que, em um contexto normal, deveria ter sido dado em maio. “Agora é hora de virar esse jogo e para isso precisamos organizar a nossa luta e mostrar a nossa força. Não é o Sindicato que dá reajuste para o trabalhador, mas os trabalhadores que conquistam”, ressalta.

*matéria publicada no site do STIMEPA

 

Com a Palavra

QUA, 14 de out / 2020

CNM-CUT retoma seu diálogo com sindicatos internacionais parceiros

O primeiro encontro foi discutido experiências organizativas de alguns sindicatos latino-americanos e contou com o apoio solidário da Fundação Friederich Ebert (FES), que possibilitou que o evento fosse realizado em espanhol e português com interpretação simultânea.

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022 - Edição Nº SET/2020
25 de set / 2020

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700