TER, 03 de Aug / 2021

Dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região repudiam caso de assédio na Edscha

Após denúncias de assédio moral contra uma funcionária da empresa, membros do Comitê Sindical da Edscha levaram o caso para o setor de recursos humanos e realizam assembleia com os trabalhadores

Crédito: Divulgação
Assembleia na Edscha
Assembleia na Edscha

Nenhum tipo de assédio no local de trabalho é aceitável e, caso aconteça, deve ser denunciado imediatamente. Esse foi recado deixado pelos dirigentes do Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região (SMetal) e membros do Comitê Sindical da Edscha (CSE) durante assembleias realizadas na porta da fábrica nesta terça-feira, 3, em todos os turnos.

A mobilização aconteceu após denúncias de assédio moral por parte de um supervisor da empresa. No caso mais recente, ele havia agredido verbalmente uma trabalhadora com palavras de baixo calão e insinuações sem fundamento.

Segundo Newton Alberto Fernandes Pereira (Mineiro), membro do CSE da Edscha, imediatamente, os dirigentes procuraram a trabalhadora e levaram a situação ao setor de recursos humanos da empresa. “Não foi o primeiro caso de abuso de poder desse supervisor. Ele já havia tomado uma advertência e, com essa situação, agora foi suspenso”, explicou.

Nas assembleias, os dirigentes enfatizaram que nenhum tipo de assédio – seja sexual ou moral – é aceitável e os (as) trabalhadores (as) devem denunciar qualquer ato desrespeitoso e criminoso. “Brincadeiras de mau gosto ou até mesmo perseguições por parte das chefias não devem ser toleradas e, sim, denunciadas imediatamente”, assegurou o CSE da Edscha, Douglas Nunes da Silva (Zóio).

O que é assédio moral?

É um processo contínuo e sistemático de ofensas, hostilizações, condutas abusivas, como gestos, palavras, comportamentos ou atitudes, que se configuram como um processo de violência psicológica no ambiente de trabalho e que pode acarretar em danos à saúde física e mental do trabalhador.

Para denunciar, há diversas formas. O (a) trabalhador (a) pode procurar um dirigente sindical (CSE) na fábrica, entrar em contato pelo (15) 3334-5400, enviar mensagem pelo WhatsApp u (15) 99744-5925, ou ainda acessar o campo ‘Denuncie’, do Portal SMetal. O sigilo do trabalhador (a) é garantido.

*Matéria publicada no site do Smetal

 

 

Com a Palavra

TER, 16 de Feb / 2021

Por que é necessário nacionalizar a Ford e criar uma montadora brasileira?

Escrito pelo diretor executivo do Sindicato e presidente do Industriall-Brasil, Aroaldo Oliveira da Silva, e pelo presidente da Central de Cooperativas Unisol Brasil e diretor da Unicopas, Leonardo Pinho

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022 - Edição Nº SET/2020
25 de Sep / 2020

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 [email protected]
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700