QUI, 30 de jul / 2015

Lucro líquido da Renault cresce 83% no 1º semestre

No encerramento do primeiro semestre o Grupo Renault apurou lucro líquido de € 1,46 bilhão, aumento expressivo de 83% sobre os ganhos dos mesmos seis primeiros meses do ano passado, quando a companhia reportou € 801 milhões, segundo balanço financeiro divulgado na quinta-feira, 30. Com emplacamentos em alta de 0,8%, para 1,38 milhão de unidades, o faturamento chegou a € 22,1 bilhões, alta de 12% na mesma base de comparação, com margem operacional de 4,8%, 1,1 ponto porcentual acima do índice registrado há um ano.

Considerando apenas a divisão automotiva, o grupo faturou pouco mais de € 21 bilhões, incremento de 12,4%, graças ao crescimento do volume de vendas. O relatório destaca que houve impacto positivo da queda do euro frente a um conjunto de outras moedas, como o won coreano e a libra esterlina. Este efeito contribuiu positivamente, em especial nas altas de preços ocorridas no fim de 2014 em países emergentes para compensar a queda das moedas, principalmente no Brasil e na Rússia.

“Em um contexto de recuperação mais forte que o previsto do mercado europeu, e apesar de um ambiente muito mais deteriorado de nossos principais mercados emergentes, os resultados do primeiro semestre do Grupo Renault mostram um novo avanço em relação aos objetivos do plano ‘Drive the Change’. O sucesso da renovação e ampliação da gama, a dinâmica europeia e o rigor da gestão permitem que o grupo esteja favoravelmente preparado para o alcance de seus objetivos de crescimento do faturamento e margem operacional”, declarou Carlos Ghosn, presidente da Renault.

A margem operacional da divisão automobilística ficou 89% acima da registrada no primeiro semestre do ano passado, para € 656 milhões de euros, atingindo 3,1% do faturamento. Este desempenho se deve ao crescimento da atividade e redução dos custos. Segundo a empresa, o impacto das moedas é favorável neste semestre, entretanto, o efeito mix/preço/enriquecimento ficou negativo.

Do total ganho pelo grupo nos seis primeiros meses de 2015, a Nissan contribuiu com € 979 milhões, crescimento de 24% frente ao resultado obtido no primeiro semestre de 2014. Já a AvtoVaz aumentou seu prejuízo, de € 55 milhões para € 70 milhões em um ano. Com isso, a contribuição dessas marcas no faturamento ficou em € 912 milhões, 25,7% a mais do que no ano passado, graças ao crescimento expressivo da Nissan.

Para 2015, o Grupo Renault projeta crescimento de 1% das vendas globais totais de veículos, apesar da grande desaceleração dos mercados emergentes, enquanto o mercado europeu deve ter avanço de pelo menos 5%. Neste contexto, o grupo elenca como objetivos para 2015 aumentar emplacamentos e faturamento (considerando taxas de câmbio constantes), manter a melhoria da margem operacional e da divisão automobilística e gerar um fluxo de caixa livre operacional positivo da divisão.

(Fonte: Automotive Business)

Com a Palavra

SEG, 18 de jan / 2021

Retomar a produção nos parques industriais com ou sem a Ford

Por Paulo Cayres, Sérgio Nobre e Vagner Freitas

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022 - Edição Nº SET/2020
25 de set / 2020

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700