QUA, 07 de abr / 2021

Metalúrgicos de Pinda participam do 1º Encontro da Indústria 4.0 Brasil-EUA

Desindustrialização e falta de política nacional para o setor foram apontados por vários dirigentes

Crédito: SindmetalPinda
Sec. Com. Sind. Metal. Pinda
Sec. Com. Sind. Metal. Pinda

O Sindicato dos Metalúrgicos de Pindamonhangaba participa do 1º Encontro da Industria 4.0 Metalúrgicos Brasil-EUA. O evento virtual teve início nessa quarta-feira, dia 7, e termina no dia 8. Ele está sendo organizado pelos Metalúrgicos do ABC, em conjunto com a UAW, sindicato que representa os metalúrgicos nos Estados Unidos.

O secretário de Comunicação dos Metalúrgicos de Pinda, Gilson Leandro, está participando do debate sobre globalização, desenvolvimento, tecnologia e o movimento sindical.

“Pinda em parte tem uma posição até privilegiada comparada a muitas partes do Brasil, que estão arrasadas. Aqui tem fábricas recebendo investimentos. A expansão da Novelis e da Gerdau são na casa de R$ 1 bilhão, e não foram cancelados. Mas eles vão gerar pouquíssimos empregos para fazer a mesma produção ou até mais do que processos que já empregaram centenas de trabalhadores. E por outro lado, nós temos a Confab, que fez um investimento altíssimo contando com o pré-sal e hoje está em dificuldade, vendo tudo ser entregue para os estrangeiros”, disse.

A discussão do avanço da tecnologia, com a Indústria 4.0, e o seu impacto na mudança dos processos produtivos é discutido no mundo todo. 

DESINDUSTRIALIZAÇÃO

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, o Wagnão, fez uma análise da indústria nacional e a falta de uma política nacional de desenvolvimento do setor.

“Temos a obrigação de discutir os temas que irão definir o futuro da indústria no país e da produção nacional. Não existe indústria competitiva sem a participação e o incentivo do Estado. Não há indústria que consiga concorrer com o mundo lá fora sem o Estado sendo o protagonista dessas políticas”, disse.

Ele também criticou o avanço da desindustrialização no país.

“Infelizmente estamos assistindo o inverso no Brasil. Estamos assistindo a inação e inoperância do governo com a indústria brasileira. Um forte processo de desindustrialização. Sem uma indústria forte não há geração de emprego”, prosseguiu.

Também participam representantes das centrais brasileiras e do sindicato americano.

*matéria publicada no site Sindmetalpinda

 

Com a Palavra

TER, 16 de fev / 2021

Por que é necessário nacionalizar a Ford e criar uma montadora brasileira?

Escrito pelo diretor executivo do Sindicato e presidente do Industriall-Brasil, Aroaldo Oliveira da Silva, e pelo presidente da Central de Cooperativas Unisol Brasil e diretor da Unicopas, Leonardo Pinho

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022 - Edição Nº SET/2020
25 de set / 2020

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700