TER, 23 de fev / 2021

Metalúrgicos no Amazonas pedem fiscalização em empresas do Polo Industrial de Manaus

Entidade procurou a Secretaria de Estado da Fazenda para denunciar e pedir fiscalização sobre trabalho escravo e exploração

Crédito: Sindmetal-AM
Luta no Amazonas
Luta no Amazonas

Após várias denúncias de exploração de trabalhadores em fábricas do Polo Industrial de Manaus (PIM), o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal-AM) vai à Secretaria de Estado da Fazenda do Amazonas (Sefaz) denunciar e pedir fiscalização nas empresas que exploram e que mantem funcionários em ‘regime semi-escravo’ nas suas linhas de montagem.

De acordo com o presidente do sindicato, Valdemir Santana, fábricas como a LG, P&G, Qualitec, Alcoa são empresas que faturam bilhões de Dólares e estão ‘ajudando’ a explorar trabalhadores nas fábricas do Distrito Industrial do Amazonas.

“As empresas faturam bilhões de dólares e, mesmo assim, não valorizam os trabalhadores, não pagam em dia e não oferecem benefícios básicos, como alimentação adequada e o transporte, por exemplo”, destacou.

De acordo com o sindicalista, existe um sistema praticado pelas empresas denominado de Complaz, que serve para escolha de parceiros industriais, idêntico a um processo de licitação pública, mas que está sendo usado para selecionar empresas com o perfil de exploradoras de trabalhadoras, até o regime semi-escravo.

Ainda conforme Valdemir Santana, são indústria que faturam alto para ‘ajudar’ outras empresas a explorarem a mão-de-obra amazonense.

A Qualitec é uma das fábricas que Valdemir pede fiscalização urgente. As péssimas condições de trabalho e remuneração dos trabalhadores é algo grave e que merece punição. Alcoa está a dois meses sem pagar salários corretamente e tirando todos os direitos garantidos na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT). “Complaz é só enganação”, acentua.

Ainda conforme Santana, é necessária a fiscalização rigorosa do Governo do Estado, por meio da Sefaz. “O governo deve fiscalizar, pois essas empresas não têm necessidade de explorar os trabalhadores e mesmo assim o fazem. Ninguém está na fábrica para brincar e os funcionários precisam de seus salários”, afirmou.

P&G e Alcoa também estariam descumprindo as convenções trabalhistas. “As duas empresas tem uma péssima administração. As duas possuem o sistema Complaz, para avaliar as empresas que melhor sabem explorar trabalhadores. Do jeito que elas atuam em Manaus, estão longe de serem as melhores”, ressaltou o sindicalista.

*matéria publicada no site do Sindmetal-AM

 

Com a Palavra

TER, 16 de fev / 2021

Por que é necessário nacionalizar a Ford e criar uma montadora brasileira?

Escrito pelo diretor executivo do Sindicato e presidente do Industriall-Brasil, Aroaldo Oliveira da Silva, e pelo presidente da Central de Cooperativas Unisol Brasil e diretor da Unicopas, Leonardo Pinho

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022 - Edição Nº SET/2020
25 de set / 2020

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700