QUA, 10 de fev / 2021

Partido Dos Trabalhadores, 41 Anos De Luta

Por Paulo Cayres, Presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT (CNM/CUT) e Secretário Sindical Nacional do PT

Em 10 de fevereiro de 1980, na cidade de São Paulo, no colégio Sion, tomava forma a ousadia e a coragem de sindicalistas, artistas, intelectuais, militantes dos movimentos sociais e religiosos progressistas. É fundado o Partido dos Trabalhadores.

O próprio nome, PARTIDO DOS TRABALHADORES, deixa claro qual a sua vocação: dar voz e abrir espaço para aqueles e aquelas que constroem todos os dias, com seu esforço e coragem, a riqueza das nações. Riqueza da qual poucos, ou quase ninguém, usufrui.

Nesses 41 anos de existência, o partido tem cumprido com méritos o seu destino. Nesse período, o PT esteve sempre na luta, lado a lado com os movimentos social e sindical, por direitos, justiça social e melhoria da qualidade de vida do povo brasileiro.

Os prefeitos, prefeitas, governadores, governadoras, vereadores, vereadoras, deputados e deputadas, senadores e senadoras, eleitos e eleitas pelo partido fizeram, e fazem, políticas inovadoras. Os governos petistas sempre procuram superar a democracia representativa e seguem rumo a uma democracia participativa.

Os governos do presidente Lula e da presidenta Dilma mostraram como é possível governar o Brasil, tendo como meta ampliar direitos, gerar empregos, produzir inclusão social, reduzir a pobreza, investir em educação, aumentar a renda da classe trabalhadora e fazer do país uma nação soberana e respeitada no mundo.

Essa trajetória de lutas e conquistas angariou admiração e respeito da maioria da população brasileira e faz do PT um caso único na história da esquerda brasileira, que pode contar com um partido popular, de esquerda e de massas.

Por outro lado, o partido atraiu todo o ódio da classe dominante, que não suporta que o Brasil seja uma nação soberana com inclusão e justiça social. Um ódio que acabou resultando no golpe de 2016, um brutal ataque à democracia.

Desde o golpe estamos assistindo a uma brutal desconstrução do Brasil, com destruição de direitos da classe trabalhadora, perseguição aos movimentos social e sindical, ataques ao estado democrático de direitos e piora constante das condições de vida de milhares de brasileiros e brasileiras.

E o que é pior, estamos assistindo a contaminação de uma parcela importante da população por preconceitos e ódio pelos diferentes, reféns de uma política da negação da ciência e do desrespeito ao próximo.

As riquezas nacionais e a nossa soberania estão sendo entregues aos interesses predadores, nacionais e internacionais. 

Vivemos um período em que uma verdadeira política de genocídio está em curso, como mostram os dados sobre a Covid-19. Somos um país com milhões de contaminados e mais de 230 mil mortos pela pandemia do coronavírus.

Mesmo sob ataque constante o partido resiste, mas é preciso mais. Esse talvez seja o nosso maior desafio nesses 41 anos de existência: enfrentar essa política da negação, genocida e entreguista. Além de defender e reconquistar a democracia, recuperar os direitos da classe trabalhadora e o respeito internacional e a autoestima da população. Nossa tarefa também é impedir a entrega das nossas riquezas, fortalecer nossa soberania, vencer a pandemia, salvar vidas, popularizar o nosso programa de reconstrução nacional e derrotar o governo Bolsonaro.

Os sindicalistas petistas, em conjunto com os movimentos sociais progressistas, estão sendo chamados para enfrentar mais esta batalha. É hora de fortalecer o partido, aumentando nossa participação na vida do PT, porque ao longo destes 41 anos, ele tem se empenhado em ser um instrumento de luta, fundamental, para classe trabalhadora.

Parabéns ao Partido das trabalhadoras e dos Trabalhadores e à todos e todas, que ao longo desses 41 anos, têm participado da construção do maior partido da esquerda brasileira e da América Latina.

 

Paulo Cayres

Presidente da Confederação Nacional dos Metalúrgicos/as da CUT

Secretário Sindical Nacional do PT

 

Com a Palavra

TER, 16 de fev / 2021

Por que é necessário nacionalizar a Ford e criar uma montadora brasileira?

Escrito pelo diretor executivo do Sindicato e presidente do Industriall-Brasil, Aroaldo Oliveira da Silva, e pelo presidente da Central de Cooperativas Unisol Brasil e diretor da Unicopas, Leonardo Pinho

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022 - Edição Nº SET/2020
25 de set / 2020

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700