SEG, 30 de nov / 2020

Saiba mais sobre o faturamento de 20 bilhões de dólares de 5 empresas do Polo Industrial de Manaus (PIM)

Sindicato dos Metalúrgicos denuncia o não cumprimento da Convenção Coletiva e afirma que vai lutar para que direitos sejam respeitados e cumpridos

Crédito: Divulgação
PIM
PIM

A empresa PHILCO ELETRO ELETRÔNICOS fatura em torno de 1 bilhão de reais anualmente, possui 3 mil trabalhadores, dos quais, a metade é MÃO-DE-OBRA temporária, sem acordo com o Sindicato, eles não têm direito à assistência médica, nem direito à PLR (Programa de Participação nos Lucros e Resultados), não tem direito a creche, não tem direito a aviso prévio, direito a nada, não possui os mesmos direitos de um trabalhador efetivo. No setor de fabricação de compressores em condições altamente insalubre, com mais de 40o graus no local da atividade, trazendo prejuízo e risco à saúde do trabalhador. Os ônibus andam lotados, não respeitam as normas de distanciamento, nem os Decretos do governo do estado do Amazonas.

As empresas TRANSIRE e da CALLIDUS (do mesmo grupo) tem mais de 2 mil trabalhadores, faturam mais de 2 bilhões de dólares, com várias irregularidades denunciadas pelos funcionários, sem os acordos registrados, submetendo seus funcionários a trabalhar sábado e domingo, sem pagar hora extra.

A empresa SAMSUNG, com faturamento de quase 4 bilhões de dólares, com 4.500 trabalhadores e inúmeras irregularidades: não cumpre a Convenção Coletiva de Trabalho, nega os principais direitos adquiridos pelos trabalhadores. Tem vários trabalhadores trabalhando por tempo determinado, sem acordo com o Sindicato. Horário de trabalho totalmente irregular, quem deve trabalhar por 42 horas, está trabalhando 44 horas. O Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas buscando os direitos que todos os trabalhadores amazonenses devem usufruir, já está há quase um ano negociando com essas empresas, e, elas não resolveram nada.

A empresa MOTO HONDA com 7 mil trabalhadores, fatura em torno de 4 bilhões de dólares, não cumpre a Convenção Coletiva de Trabalho. Do ano passado para cá, foram admitidos mais de 2 mil trabalhadores de mão-de-obra temporária, sem direito a receber PLR, no setor de embalagem (de moto), todos são terceirizados, ganhando salário mínimo, irregular também. O Sindicato fica sozinho nessa luta, não tem fiscalização do Ministério Público, nem do Trabalho.

A empresa FLEXTRONICS fabricante do celular MOTOROLA, ganha 100% (cem por cento) de incentivo fiscal, oferecendo SALSICHA no almoço dos trabalhadores, péssima qualidade da alimentação, representando risco à saúde do trabalhador, com gestores irresponsáveis, por oferecer este tipo de alimentação para a classe trabalhadora. Os ônibus andam lotados, a empresa não tem respeitado o Decreto-Lei com as normas de distanciamento. Os trabalhadores têm feito hora extra, sábado, domingo e feriado sem autorização, sem acordo com o Sindicato.

Nota do Sindicato

Todas estas empresas afirmam que fizeram contrato com os trabalhadores, que estão cumprindo as CCT’s, mas elas não estão cumprindo com a Convenção Coletiva, continuam agindo irregularmente, contra os trabalhadores. Só exigem as responsabilidades dos trabalhadores, sem garantir os seus direitos.

Um retrato do empresário brasileiro, mais especificamente, do Polo Industrial de Manaus, não cumpre a CCT, mas exige TUDO, SUGA o trabalhador. Tem empresa que não dá tempo nem para almoçar e nem para ir ao banheiro.

Umas dizem que quem resolve é o setor jurídico de São Paulo, mas as empresas estão instaladas aqui em Manaus, é a sociedade manauara que dá os incentivos fiscais, dos quais elas usufruem, e estas empresas não estão dando sua contrapartida, ao contrário, pagando baixos salários, e tirando o direito ao Aviso Prévio, Creche, Assistência Médica.

Uma VERGONHA o que estas empresas estrangeiras fazem com o povo brasileiro, povo amazonense.

Como presidente do Sindmetal-AM, Valdemir Santana, expressa sua indignação, a direção destas empresas fazendo isso com nossos trabalhadores, tratando-os como TRABALHO ESCRAVO.

Santana destaca, que estas 5 empresas, faturam sozinhas em torno de 20 bilhões de dólares, e já são conhecidas por explorar os trabalhadores.

Infelizmente, alguns trabalhadores não compreendem e desconhecem seus direitos, falam mal do Sindicato, sem saber que assistência médica, alimentação, transporte e outros benefícios, é resultado da Convenção Coletiva de Trabalho do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas.

Essas empresas precisam cumprir a Convenção, cumprir o que o PATRÃO assinou através do Sindicato Patronal.

A luta do Sindicato é pelos trabalhadores, para que seus direitos sejam respeitados e cumpridos.

*Informamos que após saberem das denúncias dos trabalhadores as empresas Moto Honda e Samsung chamaram o Sindicato para verificar sobre as irregularidades denunciadas e na semana que vem resolver sobre esses problemas.

*matéria publicada no site do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas

 

Com a Palavra

QUA, 27 de jan / 2021

Caso Ford e o descaso com a política industrial: saídas para a reconversão industrial

Por Allan Yukio Hayama, Engenheiro na Ford em Camaçari e dirigente do Sindicato dos Engenheiros na Bahia

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022 - Edição Nº SET/2020
25 de set / 2020

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700