TER, 16 de fev / 2021

TRT da Bahia marca audiência com Ford e metalúrgicos. Sindicato fala em ‘imposição’

MPT reafirma que empresa segue sem poder realizar demissões coletivas enquanto não terminar negociação coletiva

Crédito: Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari
Arquivo: assembleia trabalhadores Ford Camaçari
Arquivo: assembleia trabalhadores Ford Camaçari

O Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT5), na Bahia, remarcou de amanhã para a próxima quinta-feira (18), a partir das 10h, nova audiência de conciliação entre a Ford e o Sindicato dos Metalúrgicos de Camaçari. Nessa data, coincidentemente, completam-se 40 dias desde que a montadora anunciou o encerramento de suas atividades no Brasil. Isso envolve as fábricas da Ford de Camaçari, Horizonte (CE) e Taubaté (SP).

Na última sexta (12), o presidente em exercício do TRT, desembargador Jéferson Muricy, promoveu uma reunião entre as partes, sem sucesso. Representantes da empresa afirmaram que estão abertos à negociação e que apresentaram propostas de indenização, enquanto o sindicato fala em práticas de assédio contra os trabalhadores, para forçar retorno ao serviço de parte dos funcionários em Camaçari. (Confira o link da reunião.)

Os metalúrgicos lembraram que empresas “parceiras” da Ford já demitiram. “Temos cinco empresas ligadas diretamente a esse processo, ligadas diretamente à Ford, que já demitiram todos os funcionários. Já ultrapassa 1.400 funcionários, sem nenhum tipo de reparação. É responsabilidade de vocês”, afirmou o presidente do sindicato, Júlio Bonfim.

Negociação de fato

Ele também manifestou estranheza pelo fato de a empresa ajuizar dissídio coletivo de greve durante o andamento das negociações. E lembrou que a proposta já apresentada representa apenas uma parcela (em torno de 5%) do valor que a Ford afirma dispor para pagamento de indenização. “Querer negociar por imposição é muito fácil. O que estamos tratando aqui não é só uma questão indenizatória. É uma reparação”, afirmou.

Na semana passada, o desembargador Edilton Meireles de Oliveira Santos, do TRT baiano, concedeu liminar à empresa contra decisão de primeira instância. Mas o Ministério Público do Trabalho (MPT) informou que algumas determinações continuam mantidas. Assim, enquanto a negociação coletiva continuar, a Ford não pode efetuar dispensas coletivas, suspender pagamento de salários ou praticar assédio.

*matéria publicada no site da RBA

 

Com a Palavra

TER, 16 de fev / 2021

Por que é necessário nacionalizar a Ford e criar uma montadora brasileira?

Escrito pelo diretor executivo do Sindicato e presidente do Industriall-Brasil, Aroaldo Oliveira da Silva, e pelo presidente da Central de Cooperativas Unisol Brasil e diretor da Unicopas, Leonardo Pinho

Entidades e Empresas

Entidades

Notícias sobre entidades filiadas e parceiras da CNM/CUT:

Empresas

Informações sobre as empresas em que a CNM/CUT constrói uma organização nacional dos trabalhadores:

CNM/CUT por e-mail

Receba informações da CNM/CUT diretamente em seu e-mail:

Enviando...
Email cadastrado com sucesso!

Redes e blogs

Cálculos

Calcule reajustes salariais e o tempo que falta para sua aposentadoria:

Publicações

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022

383 - ASSEMBLEIA GERAL VIRTUAL APROVA PROPOSTA DE REAJUSTE | Cláusulas Sociais estão renovadas até 2022 - Edição Nº SET/2020
25 de set / 2020

CNM/CUT - Confederação Nacional dos Metalúrgicos
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP (55) 11 4122-7700 cnmcut@cnmcut.org.br
Av. Antártico, 480 - Jardim do Mar - CEP: 09726-150 - São Bernardo do Campo - SP

Saiba como chegar a CNM/CUT


(55) 11 4122-7700